sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

A vanguarda também quer casar

Eu já vivi a eternidade e digo a vocês: não valeu a pena.


Essa belezinha de frase saiu de uma conversa em grupo no msn. Claro que fui eu quem disse, né? Quem mais seria tão dramático?

Eram dois homens e duas mulheres. As mulheres totalmente descrentes no amor eterno, um dos homens seguro de que seu casamento será eterno, e o outro homem tentando defender o amor (e)terno, mas não o casamento em si.

Das muitas pérolas dessa conversa, não cheguei a conclusão alguma, mas tirei alguns pensamentos:

Os homens têm medo do casamento porque acham que ele precisa ser eterno. As mulheres também acham isso, é meio que um senso estúpido comum. Em algum lugar eu já escrevi que a sociedade vendeu o casamento como a única forma de realização pessoal, e nós, apaixonados, compramos junto com o pacote filhos+contas+sexo casual [sexo casual com seu único parceiro, olha que merda]. Enfim, o problema é que para as mulheres já é comum ter um só parceiro, ou ter poucos parceiros ao longo da vida.

Resumindo, a mulher gosta de ter um parceiro só porque essa seria a [única] forma de ter sexo garantido. Não seguro, como sabemos; mas certo: todos os dias, se quiser. Já o homem não precisa disso, teoricamente ele pode transar cada dia com uma diferente e ninguém vai apontá-lo na rua.

Não estou falando nenhuma novidade aqui. Todo mundo sabe das injustiças sexuais, que homem galinha é fodão e mulher galinha é... galinha. Piranhazinha, fácil. O cara come num dia e joga fora no outro. Ou no mesmo dia. Enfim, esse blá blá blá é conhecidíssimo. O que estou conjecturando agora é o casamento em relação a tudo isso.

Mulher também gosta de sexo. Não é óbvio? Não, não é! Nem para elas. Porque, voltando ao assunto-tabu, elas não dividem a conta do motel!

Cara, que maldita desigualdade sexual. A mulher casa porque quer estabilidade e sexo também! Porque quer parar de pular de galho em galho e ficar com um cara só O RESTO DA VIDA. É uma estupidez, é uma crença sem noção, mas é muito digna, minha gente!

Então, seres humanos tapados:
Continuem acreditando em amor eterno, mas pelo menos tenham a noção de que o amor que o outro sente pode sim acabar. Estejam prontos para o fim do amor eterno.

20 comentários:

Moannah disse...

Eu jah tive varios amores aternos!
Se eu contar ninguem acredita.
Todo amor eh eterno, ateh o belo dia em que se acaba.
Aih depois vc ama outra vez e acha que aquele que passou não era o lendario amor eterno.

Quiero amar hoy por si no hay mañana!

=)

Marina Gil disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marina Gil disse...

"... que seja não imortal, posto que é chama.
Mas que seja infinito enquanto dure." Vinicius de Moraes

Não consegui pensar em nada que não essa frase tão conhecida e "clichê", mas que é fabulosa e descreve parte do que você quis dizer.

Concordo com as suas palavras!

voluntas disse...

ruim de tudo é qd o amor eterno alheio acaba antes do seu. se o seu acaba antes, tranks!

morro de medo de ficar à deriva. já não acreditei que o amor mesmo pudesse existir. hj, tenho alguém que me faz, ao menos, querer acreditar. e, na boa, não quero felicidade real, me contento com a ilusão... desde q doce

Anônimo disse...

quanta amargua.

Anônimo disse...

Você pensa demais em sexo, o que é o menos significativo em um relacionamento estável, e se confunde entre amor, paixão e mero querer.Mas bom, casar é uma opção e nada é perfeito, se você acha melhor passar o resto da vida por ai rodando sozinha e sem formar uma familia, opção sua.

Erick Restum disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Erick Restum disse...

"Resumindo, a mulher gosta de ter um parceiro só porque essa seria a [única] forma de ter sexo garantido."

Depois, eu sou o machista.

------------------------------------

"Anônimo disse...

Você pensa demais em sexo, o que é o menos significativo em um relacionamento estável, e se confunde entre amor, paixão e mero querer.Mas bom, casar é uma opção e nada é perfeito..."

Gostei desse cara.

Annie Restum disse...

Eu tô com Freud e não abro.

Quanto ao anônimo, eu nem ia responder, já que anônimo não merece resposta.

Mas como meu querido Erick usou o comentário dele, vamos lá:

Eu não confundo amor, sexo e 'mero querer'.

Simplesmente não acredito em 'amor' entre homem e mulher, a menos que seja amizade.

Se rola sexo, é o sexo que importa.

E o 'mero querer' relaciona-se com o sexo, quase que somente com ele.

Entretanto, este é o meu blog. Minha opinião. Minhas pseudo-literaturas e pseudo-análises da vida.

E assim que a internet voltar a funfar lá em casa eu vou proibir essas porras anônimas de comentar aqui.

Ô gente chata. Ô gente covarde.

Erick Restum disse...

Eu acho... que chega uma fase do "relacionamento" em que o sexo, propriamente dito não tem mais tanta importância. Claro que é importante, mas não na mesma intensidade.

"Entretanto, este é o meu blog. Minha opinião. Minhas pseudo-literaturas e pseudo-análises da vida."

Mas os leitores podem discordar, né?

Eu posso :)

Eu acredito no amor. Já amei e já fui amado. E a minha mãe, eu acho, ainda me ama.

Não proíba os anônimos, ele são divertidos. Sério!

Annie Restum disse...

É, eu acho divertido.

Mas não gosto quando usam as idiotices anônimas, sabe Erick...


Enfim, cada um com suas opiniões.

Erick Restum disse...

Calma, calma, não se irrite!

:)

Annie Restum disse...

Eu acho que todo mundo pode discordar à vontade.

O mal do anônimo é que ele não tenta acrescentar, ele tenta fazer chacota do que eu falo.

Certamente é alguém que me conhece muito superficialmente e acha que me conhece bem.

E arrisco mais: alguém com dor de cotovelo.

Não fosse isso a pessoa assinaria.

Erick Restum disse...

Nem sempre. Eu mesmo poderia assinar como anônimo, caso despertasse a vontade. Só não faço isso agora porque estou completamente bêbado. :)

Anônimo disse...

Eu só não entendo o que vc ganharia não assinando, Erick.

Aliás, eu não consigo conceber a idéia de não assinar algo que eu escreva, nem que seja uma palavra só.

Texto meu é texto meu, sempre vem com assinatura.

Mesmo se eu quiser falar mal (acho que é aí mesmo que eu assino).

Btw, sou eu, Nathalia. Ou Annie, como quiserem.

Caio disse...

interessante o texto..

"Eu já vivi a eternidade e digo a vocês: não valeu a pena."

eu acho que o melhor que se pode encontrar numa relação é justamente a eternidade.. aquela eternidade do Vinícius: "Que não seja imortal, posto que é chama. Mas que seja infinito enquanto dure."

é claro que vale muito a pena.. a não ser que não se saiba lidar com o fato da chama acabar.. mas isso não deveria ser tão difícil: basta lembrar que há muitas eternidades ainda esperando que você as viva

unwritten disse...

Sim, mas quando eu disse isso, eu quis falar da eternidade mesmo. E não da eternidade que acaba.
Da eternidade falsa que engana os menos precavidos, e que me enganou e me deu uma rasteira séria.

Aprendizado? Sim. Mas gostaria de ter aprendido de outra forma.

ieda thinara disse...

Gostei do blog.agradavel de se ler...
Inteligente ...

bjs

Anônimo disse...

Annie, com todo o respeito, você se equivoca em um ponto: nenhum homem tem tanta facilidade de obter uma relação casual quanto uma mulher! A mulher, sim, é que pode ter sexo todos os dias, se quiser, com parceiros diferentes... desde que não se importe em ser apontada na rua. É a própria pressão social sobre a mulher o que faz com que o homem tenha maior dificuldade em obter uma relação casual. Simples aplicação da lei de oferta e procura. É por isso que homem também se casa...

Francisco Doce (franciscodoce@bol.com.br)

esta que está aqui atrás disse...

Francisco, que pena eu levar mais de um ano sem ler meu antigo blog.

Essa discussao sobre quem tem mais facilidade na hora de conseguir sexo casual é longa; toda vez que a tenho em um grupo, ficamos divididos (cada um puxando a sardinha para o seu genero, né?).

Eu, como mulher, te digo que é bem difícil conseguir sexo casual. E nao é por medo de ser apontada na rua, já que o mundo é grande e a gente pode muito bem fazer as coisas escondido, se for o caso. Mas eu, sem me preocupar com nada, livre leve e solta, saía de casa com o intuito de terminar na casa de alguém, e muitas vezes voltei com o rabo entre as pernas (sem trocadilho).

Bem, se voltares aqui, de uma olhada no crisedos27.blogspot.com, que é lá que eu escrevo agora.